Pesquisar Textos Antigos

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Última volta...

É a última volta do ponteiro
A alma já está cansada...
O corpo esgotado por inteiro;
O resto são ruínas desgraçadas.

É o tempo cobrando as migalhas,
Destruindo palácios, castelos, muralhas...
Levando, aos poucos, pedaços;
Deixando apenas cansaços.

E é o tempo que torna a vida perdida,
Que corrói amores, criando feridas,
Dilacerando até mesmo os fortes...

O tempo... acenando a nossa partida;
Fazendo as histórias tornarem esquecidas...
Acabando com tudo no seu rastro de mortes.

Números de Visitantes Desta Página